Não deixe para amanhã...

Tem dias em que a nossa produtividade não é a mesma e a vontade de adiar as tarefas bate com força. Quando isso ocorre esporadicamente, não há muito problema - no expediente seguinte você compensa o que deixou de fazer -, mas se a procrastinação se torna um hábito, é complicação certa!

De acordo com José Roberto Marques, presidente do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC), as pessoas procrastinam por causa de alguns fatores, como falta de gestão do tempo, desmotivação, falta de propósito na realização da tarefa, distrações, excesso de tarefas e falta de organização, entre outros. "Cada pessoa tem um motivo para tal atitude", diz.

Muitas vezes, na tentativa de compensar o expediente perdido, os profissionais acabam entrando em uma bola de neve, por causa do acúmulo de tarefas - e aí surgem novos fatores que levam ao adiamento do trabalho, como a desmotivação, o cansaço, o estresse e outros sentimentos negativos. "A procrastinação pode gerar ansiedade e estresse, uma vez que o profissional estará sempre sobrecarregado, fazendo as tarefas com pressa e com a sensação de dever não cumprido", alerta José Roberto.

Há diversos comportamentos "sabotadores" que podem ser identificados a fim de que uma mudança possa ser trabalhada e estimulada.  Até hábitos simples do dia a dia, como uma pausa para o cafezinho ou para ler mensagens no celular acabam contribuindo para o atraso das entregas.

Não pega bem
O ato de retardar a realização de tarefas não é benquisto nas empresas. Afinal, esse tipo de comportamento demonstra pouco comprometimento com o que lhe é confiado e dificuldade de cumprir prazos (ainda mais com qualidade!).

Outro ponto negativo de protelar no ambiente de trabalho, segundo José Roberto, é a pressa que vem depois para tentar terminar o que não foi feito.  "Quando se cumpre um cronograma, se algo sair do planejado há tempo para eventuais correções. Ao postergar, o profissional esquece que os imprevistos podem ocorrer e, caso tenha algum, ele se complica ainda mais", explica o presidente do IBC.

Sem delongas
A sabedoria popular já ensina: "não deixe para amanhã o que pode fazer hoje". E é importante ter isso em mente para evitar dores de cabeça causadas pelo adiamento desnecessário de entregas e ações.

O planejamento e a organização são essenciais para dar fluidez ao trabalho, com tempo para revisões e ajustes, caso sejam necessários. "É importante também que o profissional faça um planejamento pessoal, que deve conter os horários de acordar e dormir, atividade física, estudo, trabalho, além das pausas para refeições e descanso ao longo do dia", sugere José Roberto. Dessa forma fica mais fácil dar conta de tudo - até daquela missão mais complicada ou chatinha de ser feita!