Por que usar mapas mentais?

Em um mundo onde já se produzem mais de 2.5 Exabytes de dados por dia - entre fotos, vídeos e textos postados na Internet - e cada pessoa tem contato com mais de 100 mil palavras diariamente , não é raro termos a sensação de não conseguir controlar a quantidade de informações que recebemos. Apesar de nosso cérebro não ser capaz de processar tudo isso, temos dificuldade para filtrar o que é realmente importante. Como é possível gerenciar tanta informação e ter um dia a dia mais produtivo? A técnica de mapas mentais, criada há mais de 40 anos pelo psicólogo britânico Tony Buzan, tem sido usada para solucionar esse problema moderno.

A ideia é baseada na criação de diagramas para ordenar e hierarquizar visualmente uma grande quantidade de dados, a fim de organizar as ideias e deixar o pensamento mais claro. No mapa mental, uma informação é colocada no centro, a partir do qual são irradiadas outras informações relacionadas, que podem ser representadas por meio de imagens-chave ou palavras-chave. Isso pode ser feito em papel, com canetas coloridas, ou por meio de plataformas e programas on-line. "O mapa ajuda a ter foco. Ao organizar essas informações, é possível centrar o que é mais importante, dispensando aquilo que não deve ocupar espaço no seu dia ou no seu tempo", afirma Liz Kimura, consultora da LNK Treinamentos, especializada em mapas mentais.

Os usos da técnica são infinitos. Enquanto empresas de todos os portes costumam utilizá-la para realizar planejamento estratégico, brainstorming e gerenciamento de reuniões, é possível fazer mapas em diversas situações do dia a dia, como organizar a agenda diária, aprender um novo idioma, fazer anotações em sala de aula, preparar apresentações, estudar e até desenvolver novas ideias.

Benefícios

Segundo o próprio Tony Buzan, o mapa mental trabalha os dois hemisférios cerebrais, estimulando memória, linguagem, lógica e criatividade. Além disso, ajuda a ordenar os pensamentos, desenvolver a concentração, priorizar informações, absorver ou produzir conteúdos e encontrar soluções criativas para um problema. Por ser mais fácil de visualizar do que um resumo escrito, também permite revisões rápidas.

"É uma grande economia de tempo, porque permite resgatar um grande volume de informações rapidamente", comenta Liz Kimura. O que é bom, também, para aumentar a produtividade no trabalho e nos estudos, já que ajuda a organizar e recuperar informações de forma mais rápida.